Sentimos muito mas seu browser não é suportado pela Marsh.com

Para uma melhor experiência, por favor faça o upgrade para um dos seguintes browsers:

X

Seu Blog de Wellness

O coronavírus deve atuar como um alerta no gerenciamento de riscos de pessoas

Por Mio Hadzipasic Quinta-feira, Agosto 27, 2020

A pandemia da covid-19 deve atuar como um alerta global em relação ao gerenciamento de riscos de pessoas, pois as empresas experimentam em primeira mão a realidade de ter um grande número de funcionários indisponíveis ou incapazes de trabalhar.

Uma pesquisa do BSI descobriu que o risco de pessoas é a principal causa de interrupção nos negócios, mas foi classificada apenas em décimo quinto pelos gestores de risco.

Os impactos no risco das pessoas tornaram-se imediatamente claros durante a covid-19, variando de produção mais baixa devido a interrupções do processo de negócios ou produtividade mais lenta devido a uma força de trabalho desengajada.

Um dos impactos menos óbvios foi o aumento da fragilidade da reputação de uma organização. Ser visto como desorganizado ou indiferente às necessidades dos funcionários e dos clientes pode prejudicar a capacidade de reter e recrutar talentos após a crise passar. Da mesma forma, o estresse adicional sobre os funcionários e os sistemas pode levar a riscos de incidentes de segurança e violações da privacidade dos dados, o que pode causar mais danos à reputação e resultar em penalidades regulatórias.

Embora muitos desses riscos para as pessoas não sejam exclusivos de uma pandemia, a covid-19 é um lembrete absoluto de que não agir sobre eles pode contribuir para reputações devastadas, baixa produtividade e diminuir a participação de mercado.

O risco das pessoas deve ser uma prioridade

Quando a covid-19 começou a se espalhar amplamente, as empresas procuraram soluções para mitigar ameaças a seus funcionários e operações. Aqueles com planos de gerenciamento de risco que tratavam diretamente da pandemia ou se adaptavam a ela geralmente respondiam rapidamente; outros tiveram um momento mais difícil.

De modo geral, os esforços para proteger melhor os funcionários recorreram aos departamentos de RH.

Em parte, essa é uma consequência natural do papel que os recursos humanos desempenham na contratação, demissão e gerenciamento de funcionários, mas também é um subproduto do intenso foco mundial nos riscos em ameaças de propriedade e de acidentes.

E, embora os gerentes de recursos humanos tenham feito grandes avanços na criação de programas de engajamento dos funcionários e na introdução de benefícios, o que está rapidamente se tornando aparente no ambiente de pandemia é que o bem-estar da equipe deve se tornar uma prioridade mais alta na agenda de gerenciamento de riscos.

Ignore os riscos das pessoas por sua conta e risco

As organizações que não gerenciam os riscos das pessoas enfrentam graves consequências. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que entre 4% e 6% do PIB global é perdido anualmente devido a problemas de saúde relacionados ao trabalho. A rotatividade média de pessoal de uma empresa sem planos de benefícios é de 157%. E as empresas que não podem contratar funcionários-chave apresentam desempenho inferior aos concorrentes em até 11%. As empresas que não conseguem lidar com o risco das pessoas podem enfrentar:

  • Interrupção de negócios devido a problemas como perda de pessoal chave, escassez de talentos, longas horas de trabalho, estresse, pandemias, problemas de saúde mental, doenças e lesões.
  • Reputação prejudicada devido a cobertura inadequada ou inexistente de benefícios, falta de cuidados de saúde e bem-estar ou proteção familiar insuficiente.
  • Insatisfação dos funcionários levando a alta rotatividade.
  • Custos crescentes dos planos de benefícios a funcionários devido a inflação médica ou vivência de reclamações não gerenciadas.
  • Questões de governança e compliance, pois as regulações variam consideravelmente de acordo com o local, deixando os empregadores vulneráveis ​​a não conformidades e multas.

Como gerenciar os riscos de pessoas

Para lidar com o risco das pessoas, as empresas precisam dividir as atribuições e incentivar os gerentes de risco a trabalhar com o RH e trazer a discussão a alta gestão. As empresas devem colocar firmemente o risco das pessoas na agenda de gerenciamento, visualizá-lo de forma holística, reconhecer sua ligação com outros riscos e gerenciá-lo.

Empresas que entendem os riscos das pessoas e gerenciam criteriosamente os planos de benefícios podem alcançar melhor seus objetivos de negócios e minimizar custos não planejados e danos à marca.

A covid-19 deixou claro que não há nada mais crítico para a saúde de uma empresa do que a saúde de seu pessoal. Os gestores devem garantir que, à medida que a pandemia atual passa, o risco das pessoas continue sendo uma prioridade.

Temas relacionados:  Employee Health & Benefits

Mio Hadzipasic

International Placement Leader, Mercer Marsh Benefits