Sentimos muito mas seu browser não é suportado pela Marsh.com

Para uma melhor experiência, por favor faça o upgrade para um dos seguintes browsers:

X

Notícias & Informativos

Como Demonstrar o ROI em Programas de Gestão de Saúde ao Comitê Executivo

 


Decisões estratégicas de investimento em programas de gestão de saúde se pautam em dados, análises e tendências
 
O alto custo dos planos de saúde  tem exigido investimentos cada vez maior das empresas em programas e ações que visam melhorar a saúde e manter a qualidade de vida dos funcionários. O desafio é quantificar e qualificar dados de forma estruturada para convencer lideranças empresariais e acionistas do quanto é importante investir nas ações de promoção da saúde, prevenção de doenças, bem como integrá-las às estratégias da empresa a fim de manter a saúde e bem-estar dos colaboradores. Como avaliar e mensurar tudo isso em termos financeiros (ROI - Return on Investment)?
 
Todas as decisões estratégicas de investimento em gestão de saúde devem se pautar rigorosamente em dados, indicadores e tendências. E a nossa abordagem segue essas premissas assertivas. Recentemente, em conjunto com uma grande empresa do segmento de pneus, concluímos um interessante case de gestão de saúde. O ROI desta ação, detalhando o início, o meio e os resultados, despertou a atenção do board para a importância de estabelecer as prioridades de curto, médio e longo prazo, quando o assunto é retorno sobre o investimento e os resultados na saúde, bem-estar e qualidade de vida dos colaboradores.

Os maiores gastos no plano de saúde da companhia vinham de questões relacionadas à ortopedia, principalmente ombro e coluna. Com diagnóstico em mãos, entramos em campo juntamente com as equipes de RH e saúde Ocupacional – para colocar em prática programas desenhados para eliminar as causas, mitigar os riscos e diminuir despesas. As principais iniciativas tomadas incluíam desde uma nova metodologia de abordagem e melhoria ergonômica, instalação de centro de fisioterapia nas instalações do ambulatório da empresa e até segunda opinião médica, além de outras iniciativas conjuntas e integradas como gerenciamento de pacientes crônicos.

A leitura estatística desta ação, reportada ao comitê executivo, mostrou um painel com cerca de 2 milhões de sinistros ortopédicos evitados e uma sinistralidade mais equilibrada na carteira. E mais, financeiramente, para o board ficou claro o retorno sobre o investimento. Um questionário aplicado aos funcionários apontou e mensurou a percepção de melhoria na saúde, além de contabilizar a diminuição de dias perdidos com as doenças.

O case acima ilustra somente uma das frentes do desafio de demostrar o ROI dos programas de benefícios. O report é uma importante ferramenta que traduz e traz um entendimento dos dados (analytics).

Após diagnosticar os problemas específicos de sua força de trabalho, é necessário utilizar ferramentas como benchmark, modelagem de dados de várias fontes e análise de indicadores. Além de uma abordagem consultiva para o desenho, gestão eficiente e resultados esperados com os programas de benefícios. Desta maneira, analisar o perfil de risco de sua população e superar desafios da implantação e integração com a estratégia da empresa, identificar os fatores ofensores dos maiores custos e estabelecer indicadores claros, é possível verificar o retorno sobre o investimento.

A boa notícia é que muitos recursos tecnológicos disponíveis aprimoram reports mais assertivos, com dados financeiros e com  linguagem que auxiliam  o board das organizações a tomar decisões otimizadas e a alcançar o melhor resultado para o seu negócio. Cada vez mais, os empregadores devem olhar além dos benefícios tradicionais aos funcionários, propor ações continuadas em saúde com o objetivo de obter os benefícios amplos e mais eficientes em toda a cesta de benefícios oferecida.