Sentimos muito mas seu browser não é suportado pela Marsh.com

Para uma melhor experiência, por favor faça o upgrade para um dos seguintes browsers:

X

Estudos

Tendências Mundiais de Talentos 2017

 


O estudo deste ano contou com a participação de mais de 400 executivos, 1.700 profissionais de Recursos Humanos e 5.400 colaboradores de 20 indústrias distribuídas em 37 países.

Os avanços tecnológicos estão redefinindo as cadeias de valor, fazendo com que as pessoas e as informações sejam mais acessíveis e redefinindo como o trabalho é feito. Ao mesmo tempo, o volátil perfil demográfico dos colaboradores e as diversas e inconstantes expectativas da experiência de trabalho estão desafiando o modelo tradicional do que significa “ir trabalhar”. Isto é um tema geral de empoderamento em um mundo disruptivo e impacta a maneira de como a liderança empresarial, os profissionais de recursos humanos e o capital humano estão vendo o futuro do trabalho.

Quatro tendências-chave do estudo deste ano

Crescimento dos desenhos: implementar uma agenda de mudanças eficazes. 93% dos executivos de negócios planeja alterar o desenho de sua empresa nos próximos dois anos. Já não se trata de evolução: para manterem-se na vanguarda, as organizações estão transformando sua estrutura e empregos na busca por maior eficiência, agilidade e intimidade com o cliente. Garantir que a agenda voltada para as pessoas não se perca no meio de todas as mudanças será fundamental para o crescimento sustentável.

Uma mudança naquilo que valorizamos: um novo paradigma de recompensas é necessário. Um salário justo e competitivo e oportunidades de promoção são as principais prioridades para os colaboradores neste ano, o que não surpreende dado o clima de incertezas e mudanças. Entretanto, não se trata somente de resultados financeiros ou métricas de atividades: 97% dos colaboradores querem ser reconhecidos e recompensados pela ampla gama de contribuições que fazem a cada dia.

Um local de trabalho para mim. Personalização da experiência do colaborador. As pessoas esperam que seus empregadores “façam um trabalho que funcione” de acordo com suas circunstâncias individuais. As empresas estão começando a responder adotando um enfoque de “persona completa” e aumentando as opções de trabalho flexíveis disponíveis para a sua força de trabalho: 63% já tem uma política de flexibilidade formal em vigor. Os avanços tecnológicos permitem uma seleção individualizada sem aportar uma carga administrativa indevida à área de Recursos Humanos.

Três imperativos para ajudar as empresas a dar um passo adiante

Muito se fala acerca da capacidade de uma organização para se recuperar perante as adversidades. No entanto, a disrupção traz consigo adversidades e oportunidades. Por isto, o estudo de Tendências deste ano também aporta consultoria na prática em três imperativos que podem ajudar você a sair adiante.

1. Atrair e reter a mão de obra do amanhã. 1 a cada 3 colaboradores estão satisfeitos com seu atual papel, entretanto planejam deixar a empresa nos próximos 2 meses. Como é possível se assegurar que seu EVP está realmente alinhado com o ADN de sua empresa e oferece uma razão convincente para unir ou permanener?

2. Criar bases para um futuro desconhecido. Como preparar sua força de trabalho para vagas que ainda não existem? Como aproveitar todo o conhecimento institucional de sua organização e se assegurar de que as melhores ideias sejam apresentadas? Apenas 42% dos colaboradores dizem que sua empresa facilita a inovação hoje.

3. Cultivando uma força de trabalho próspera. O que é necessário para que as pessoas prosperem no trabalho? 83% dos colaboradores já sentem que podem trazer seu “eu autêntico” ao trabalho. Entretanto, o que as empresas podem fazer para garantir que todos se sintam energizados e empoderados para contribuir?